Arquivo da categoria: Redes Sociais

Lamentações e Mimimis através das redes sociais

Todos temos dias ruins.

Não há exceções ou misericórdia, um dia você vai perder o emprego/ser chutado pelo namorado(a)/seu cachorro vai morrer/alguém vai esquecer a porta da sua geladeira aberta/todas as anteriores.

E se em tempos pré-inclusão digital nossa única alternativa era enfiar a porrada na parede ou deitar em posição fetal para chorar, hoje em dia temos ferramentas cuja a principal finalidade é dividir com milhares de pessoas o quão injusta é a vida, o universo e tudo mais: As Redes Sociais.

20111013-223451.jpg
E cuja segunda função principal é servir de plataforma para jogos, claro

Ocorre que, por mais que tentemos negar, o ser humano é uma criatura sociável, por vezes até carente, que ao mesmo tempo gosta de se sentir útil ajudando os outros. Assim, quando a garota vai xingar muito no twitter aquela “vadia ladra de amigos” é óbvio que pelo menos um de seus followers vai tentar consola-la.

O acesso à internet nos dá essa possibilidade. Onde quer que estejamos, seja lá o que estivermos passando, estamos a um clique daquela listinha de amigos com os quais podemos nos comunicar em tempo real. Com as redes sociais isso se estendeu ainda mais. Agora você não precisa mais abrir uma janela pra cada amigo com quem queira conversar, bastando uma simples mudança de Status para que todos saibam o quão “escroto foi meu dia” e o quanto “odeio o mundo inteiro”. Isso é algo natural, nós gostamos de nos queixar e gostamos que nos dêem atenção.

Meu objetivo neste texto não falar mal deste comportamento, até porque todos já fizemos/fazemos isso. Que atire a primeira pedra aquele que nunca mudou sua mensagem pessoal do msn pra um “dia ruim” que seja.

O que realmente incomoda é quando tentamos fazer de tudo para parecermos fortes e auto-suficientes. Por exemplo:
Se você acabou de postar o quão difícil está a sua vida, como o mundo inteiro está contra você e como você quer morrer, não me venha logo em seguida reclamar das pessoas que estão querendo te ajudar e dizer o quanto você não precisa delas.

20111014-194645.jpg
E lá parece que eu preciso de ajuda!? Cai fora, preciso chorar minhas dores!

Okay, agora façamos uma pequena reflexão:

Nós sabemos que as redes sociais são espaços públicos , onde qualquer pessoa pode entrar e ler o que escrevemos, correto?

Na maioria destas redes, nós temos a opção de bloquear que as pessoas que não queremos vejam estas nossas informações, correto?

Então pensemos: Qual a intenção de alguém que publica o quanto está sofrendo e deixa essa publicação aberta para que QUALQUER PESSOA NO MUNDO possa ver?

Quando a pessoa realmente não quer ajuda ela fica calada, meus caros. Alguém que quer verdadeiramente ficar sozinha jamais tenta chamar atenção para si.

O que acaba ocorrendo é que muitas pessoas querem ajuda, um ombro amigo para chorar, mas são orgulhosas ou tímidas demais para admitir.

“Ah, mas às vezes eu só quero desabafar, não quero realmente que alguém venha me ajudar.”

Mentira. Se você realmente quer apenas falar suas mágoas sem nenhuma intenção de receber ajuda você pode entrar em um fórum e utilizar um nome falso, caso contrário, seja macho e admita que você está sim pedindo ajuda. E o mais importante, aceite essa ajuda.

Falo tudo isso de experiência própria. Há vezes que quero conversar com alguém e vou me queixar no twitter e e outras em que não quero ajuda e simplesmente me isolo do mundo.

Nenhum desses dois está errado, às vezes precisamos mesmo de um tempo à sós. Apenas aprenda a admitir quando você quer ajuda e não seja hostil com quem vier lhe socorrer. Se você morde a mão que te alimenta ela pode te ignorar quando você estiver realmente passando fome.
.
.
.

Agora acho que vou desenhar uma Rage Comix pra melhorar o ânimo, porque não consigo ficar sério por muito tempo.

Importância de Campanhas nas Redes Sociais.

Recentemente iniciou-se no Facebook uma campanha contra a violência infantil. A ideia é que todos mudem suas fotos de perfil para personagens que tenham marcado suas infâncias até o dia 12 de outubro…

Ok, então não é necessário muita reflexão para se chegar a conclusão de que isso muito provavelmente não vai ajudar em NADA com relação aos crimes praticados contra os pequenos infantes. Não sei bem qual era o plano aqui. Talvez fosse que, ao ver nas fotos de perfil de seus amigos vários personagens de sua infância o criminoso se sensibilizasse e largasse sua vida de crimes… enfim, não vou julgar aqui a efetividade de tal ideia, ou o fato de centenas de campanhas parecidas surgirem em redes sociais todos os dias, todas com resultados semelhantes.

”Ah, mas eu não lembro de ter ouvido sobre alguma que tenha dado certo.”

”Exato.”

Enfim, o ponto é: Eu aderi à campanha em questão. Por que se eu mesmo acabei de dizer que ela não deve cumprir seu objetivo? Bom, por três motivos simples:

1- Ela é harmless enough. Diferente daquelas correntes chatas que as pessoas te passam e pedem pra você passar para mais tantas pessoas, aqui é uma ação que parte de cada individuo. Ninguém está mandando você fazer isso e repassar para que todos o façam, não. Simplesmente estão te falando ”Olha, fiz isso por essa razão. Legal, né?”. Além do que, todos em algum ponto já usamos a imagem de um personagem como nosso avatar na internet.

2- Olhe para sua lista de amigos de qualquer rede social. Quantas destas centenas de pessoas você realmente conhece? Não estou dizendo que ”agora sim você vai conhecer todas estas pessoas”, mas é uma maneira de conhecer um pouquinho mais cada uma delas. Não só as que você não conhece, mas mesmo as mais próximas. Não é legal saber o que aquele seu amigo esquisitinho que adora filmes e séries extremamente violentas assistia quando era criança?

3- A sensação de nostalgia. Rever e relembrar todos estes personagens, alguns que até podiam estar perdidos num canto escuro de nossas memórias, nos faz lembrar de tempos mais simples. Tempos em que podíamos ver nossos amigos quase todos os dias pois eles não estavam ocupados com trabalho e que não precisávamos de um cartão de crédito para pagar a fatura de um outro. Quando você chega à certa idade e se percebe que faz mais de dez anos que você não tem dez anos, às vezes é bom relembrar dos tempos de criança.

Então eu não digo que toda campanha de rede social é inútil. Algumas poucas tem alguma importância, mesmo que ela esteja escondida nas entrelinhas.