Mentiras, Omissões e o Colapso da Sociedade

Algo interessante veio à minha mente hoje enquanto eu retornava da labuta. Façam um esforço e imaginem o seguinte cenário comigo:

.

.

.

.

(espaçamento maior que o necessário para dar efeito dramático)

.

.

.

.

E se nossos pensamentos e lembranças pessoais fossem transmissíveis ao toque?

Suponhamos que durante a madrugada uma raça alienígena, ou quem sabe uma estrela cadente, deu uma passadinha próxima ao nosso planeta e, como consequência, agora todos os seres humanos são capazes de ler o pensamento alheio.

O fim das mentiras.

Nada mais de um criminoso ser julgado como culpado ou inocente injustamente.

Políticos corruptos sendo rapidamente desmascarados ao apertarem as mãos de possíveis eleitores na esperança de ganhar mais votos.

O fim de todo aquela história de “o amigo de um amigo meu” que tanto ouvimos em nossas infâncias (e que alguns de nós ainda tem que aturar mesmo depois de adultos).

Tudo mais do que perfeito. Uma utopia sem dúvidas, correto?

Ei, lembra de como você acha seu chefe um filho da puta? E daquele colega de trabalho pau-no-cú, que sempre chega dando tapinhas nas suas costas e que curte espalhar cada detalhe que descobre da vida dos outros?

Let’s do the math, shall we?

Certa vez escutei, não me recordo aonde, que se para se cometer um crime bastasse que um indivíduo pensasse nele, todos no mundo já teriam cometido ao menos uma dúzia de assassinatos.

Acontece que todos somos culpados de termos pensamentos ruins, quiçá impuros, todo o tempo, mesmo para com aqueles que nos são mais próximos.

Quem nunca pensou em “como fulano foi babaca agora” ou ” como sicrana é gostosa”? Isso é algo perfeitamente natural, não temos como evitar estes tipos de pensamentos, apenas podemos repreende-los e omiti-los para que não prejudiquem nossas relações ou venham a machucar pessoas. Então imagine o que aconteceria caso fossemos totalmente privados desta privacidade.

Amizades de anos acabando em segundos por motivos bestas. Casais se afastando pelo medo de terem algum segredo obscuro revelado ao parceiro. Paranóia. Não ser capaz de descansar pelo medo de ter seus pensamentos lidos e divulgados por outras pessoas.

Seria o fim da vida em sociedade, pois voltaríamos à tempos de trevas, nos quais a lei é “cada um por si e que morram os outros”.

E não haveria como evitar que isso ocorresse, pois todos temos algum “monstro” em nosso subconsciente que tememos que outras pessoas vejam. Todos sabemos, a forma mais certa de se pensar em algo é justamente tentar não pensar nisso.

Tudo em excesso é prejudicial. Talvez o mesmo possa ser dito sobre a verdade.

Não estou aqui defendendo os mentirosos ou os falsos, não. Estas pessoas abusam das mentiras para ganho próprio. Apenas gosto de pensar que tudo neste mundo tem importância, e se a mentira e a omissão existem quer dizer que em algum momento elas foram necessárias e o são até hoje.

Devemos apenas aprender a hora certa para utiliza-las.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s